Polícia Federal nega que delegado morto a tiros em Florianópolis investigava morte de Teori Zavascki

31/05/2017 18:420 comentários

TeoriOs delegados Adriano Antonio Soares e Elias Escobar foram mortos a tiros após uma briga em uma casa noturna de Florianópolis (SC), na madrugada desta quarta-feira (31). Soares era delegado chefe da Polícia Federal (PF) na cidade de Angra dos Reis (RJ) e foi apontado como responsável pela condução das investigações que apuram a morte de Teori Zavascki, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com nota emitida pela PF, na manhã desta quarta-feira (31), Soares foi apenas o responsável por registrar o inquérito sobre o acidente que investiga a morte do ministro, mas não investigava o caso. A PF diz ainda que o inquérito que apura a tragédia está em Brasília, sob o comando de outro delegado.

Teori era o relator da Lava Jato e morreu em acidente aéreo no dia 19 de janeiro, na região de Paraty (RJ). Escobar tinha sido delegado em Volta Redonda, no Rio de Janeiro e era chefe da PF em Niterói até março deste ano. Uma terceira pessoa ficou ferida no tiroteio e estava internada na manhã de hoje.

Os delegados não estavam na cidade catarinense a serviço e, de acordo com a assessoria de imprensa da PF, viajaram para fazer um curso da própria Polícia Federal. O incidente teve início por volta das 2h da manhã, quando os delegados se envolveram em uma confusão em uma casa noturna. Não se sabe o motivo da briga. O suspeito de disparar os tiros que mataram os delegados é um comerciante da região, que ficou ferido e está internado. Até o fim da manhã desta quarta-feira, nenhum suspeito tinha sido detido.

Leia íntegra da nota divulgada pela Polícia Federal:

“A Polícia Federal lamenta a morte de dois delegados, ocorrida na madrugada de hoje (31/05) em Florianópolis/SC. Os dois atuavam em Angra dos Reis e Niterói, respectivamente, e estavam na cidade participando de uma capacitação interna.

O falecimento dos policiais decorreu de uma troca de tiros em um estabelecimento na capital catarinense. Neste momento de imensa tristeza, a Polícia Federal expressa suas condolências e solidariedade aos familiares e amigos enlutados.

Sobre informações que relacionam um dos policiais mortos à investigação do acidente aéreo que vitimou o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, a PF esclarece que o inquérito que apura o caso encontra-se em Brasília/DF, presidido por outro delegado, e apenas foi registrado em Angra dos Reis, local do fato”.

Congresso em Foco

Deixe um comentário